Como a manutenção preventiva garante mais segurança no trânsito?

RX Brasil via Blog Nakata.

Segurança no trânsito diz respeito a uma série de medidas preventivas, envolvendo pedestres, motoristas e ciclistas, que têm por objetivo aumentar a segurança das pessoas, evitar acidentes e preservar a vida. Tal conceito está ligado a práticas de direção defensiva (como evitar ultrapassagens perigosas e sinalizar todas as manobras), às leis de trânsito (andar no limite de velocidade, utilizar capacete, etc) e o cuidado com o estado de conservação do carro.

Quem não gosta de pegar a estrada em um feriado ou nas férias, para fugir da rotina, relaxar e se divertir, ou mesmo visitar parentes que moram em outra cidade? Mas para rodar tranquilo, além de uma direção segura e muita atenção, você sabe que precisa ter um carro confiável, não é mesmo? Aqui entra a manutenção preventiva, que nada mais é que o conjunto de ações, tomadas antecipadamente, para diminuir as possibilidades de falhas mecânicas e acidentes. Sem sombra de dúvidas, esse é o melhor caminho para sempre contar com um veículo bem cuidado, reduzir sua depreciação e garantir que ele rode em segurança.

Quer saber mais sobre o tema, compreender de vez sua importância e verificar quais são os principais itens mecânicos que não devem ficar de fora de uma revisão? Continue a leitura e fique por dentro. Neste texto falaremos também sobre importantes iniciativas para conscientizar os motoristas brasileiros sobre a importância da manutenção preventiva. Aperte os cintos, ajuste os espelhos e boa leitura!

O que são os programas Caminhão 100%, Carro 100% e Moto 100%?

Os dados sobre acidentes de trânsito sempre preocuparam as autoridades. De acordo com um levantamento feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), acidentes de trânsito representam um custo estimado de 1 a 3% do Produto Interno Bruto (PIB). Para efeito de comparação, os gastos com a educação brasileira em 2015 foram de aproximadamente 5% do PIB.

O Brasil ocupa o quinto lugar no ranking dos países com maiores fatalidades no trânsito e as causas, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), são:

  • falta de atenção (30,8%);
  • velocidade incompatível com a via (21,9%);
  • mistura de álcool e direção (15,6%);
  • desobediência à sinalização das vias (10%);
  • outras causas (21,7%);

Como pode ser observado nos números acima, o fator humano tem grande peso nos acidentes registrados. Por isso, além das campanhas feitas pelo governo, visando orientação e a prevenção de acidentes, como é o caso do “Maio Amarelo”, a iniciativa privada também tem adotado medidas para reduzir os índices de acidentes no país.

O programa Caminhão 100%, Carro 100% e moto 100% foi criado pelo Grupo de Manutenção Automotiva (GMA) e tem o objetivo de conscientizar o motorista sobre a importância da manutenção preventiva para aumentar a segurança no trânsito, baixar os níveis de poluentes e reduzir o consumo de combustível.

Além disso, nessa campanha — iniciada em 2008 — são realizadas gratuitamente diversas revisões em componentes mecânicos dos veículos que trafegam nas principais rodovias do país.

Os três pilares da campanha — prevenção de acidentes, redução de poluentes e redução de consumo — se somam para melhorar a qualidade de vida e a segurança de toda sociedade, uma vez que permite a conscientização dos motoristas acerca da importância da manutenção preventiva de seus veículos, reduzindo incidentes, melhorando a qualidade do ar — com a instalação de equipamentos e filtros de gases poluentes — e otimizando o consumo de combustível.

Existem ainda campanhas locais semelhantes ao programa em questão, mas que têm um apelo maior, como é o caso dos outdoors instalados em Belém do Pará, com as seguintes frases: “Bebeu e está dirigindo? Igreja lotada daqui a sete dias!” e “Bebeu e está dirigindo? Vai ficar lindo com uma coroa de flores!”.

Algumas ONGs também têm apoiado campanhas publicitárias para reduzir o número de acidentes, como é o caso da ONG Trânsito Amigo, que trouxe o slogan “matar no trânsito também é crime”, acompanhada de uma foto de duas pessoas feridas segurando uma placa de carro com o nome das pessoas envolvidas em um acidente e o ano do ocorrido.

O envolvimento da sociedade e das autoridades para redução dos números de acidentes é de fundamental importância para que todas as campanhas criadas sejam efetivas. Por alguma razão, sempre temos a impressão que um acidente está longe de acontecer conosco e negligenciamos medidas simples, mas que salvam vidas.

Pensar que aquele pneu usado pode “aguentar” um pouco mais, que não é preciso se preocupar tanto assim com a verificação dos fluídos do carro, ou que se consegue digitar ou falar ao telefone enquanto dirige. Esses e outros hábitos devem ser varridos de nossa mente, pois nenhum dinheiro/tempo economizado por suprimir as medidas de ação preventiva valem mais a pena do que trafegar em segurança.

Por que fazer a manutenção preventiva é importante?

A manutenção preventiva é importante pois diminui as possibilidades do condutor se envolver em um acidente devido ao desgaste natural dos componentes do seu veículo. Além disso, a manutenção preventiva é mais barata que a corretiva.

Para ilustrar, vamos pegar a troca de óleo e de filtro como exemplo. O fabricante do seu carro estudou a relação entre a durabilidade dos componentes do motor e o tempo de uso do óleo e do filtro e descobriu o seguinte: à medida que o tempo passa sem que a devida troca de óleo e filtro sejam feitas, a durabilidade do motor é reduzida.

Com isso, ele estipulou o período em que esses itens devem ser trocados para maximizar a vida útil do seu motor, que é a parte mais cara do carro e, consequentemente, aquela que desejamos conservar por mais tempo.

Se você decidir economizar com a troca de óleo/filtro, poupará cerca de R$150 a R$250. Entretanto, as partículas metálicas suspensas no fluido de motor do seu carro, que o filtro velho não mais consegue reter, entrarão em contato com as partes móveis do propulsor, o que desgasta prematuramente o interior desse componente.

E se isso acontecer, prepare o bolso. Nenhum mecânico vai colocar a mão para arrumar (se tiver conserto) por menos de R$2500. Ou seja, não vale a pena economizar com manutenção preventiva. O que pode ser feito é buscar por oficinas que prestem um bom serviço com um preço justo.

Se o exemplo do motor não é suficiente para você, vamos pegar outro caso. Considere os freios do seu carro. Novamente, os engenheiros que desenvolveram o sistema de freios do seu carro também estudaram o tempo de vida de cada um dos componentes e disponibilizaram essa informação para você, lá no manual do proprietário.

Digamos que está nos dias de trocar o fluido e as pastilhas de freio, conforme as recomendações do fabricante, o que daria em torno de uns R$250 se o carro for nacional. Se, por alguma razão, você resolver não fazer a manutenção preventiva desses itens, seu prejuízo será consideravelmente maior. Além de colocar sua vida e a de outras pessoas em risco, a não substituição desses itens pode comprometer o disco de freio e outros sistemas, a um custo que pode facilmente ultrapassar os R$600, dependendo do ano e modelo.

Outras simulações como essas, que consideram a importância da manutenção preventiva, podem ser feitas para os demais sistemas do veículo, como sistemas elétricos e de arrefecimento, entre outros. A conclusão é sempre a mesma: a manutenção preventiva é a forma mais segura e barata de evitar acidentes e de manter o trânsito seguro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.